Correntes Bicicleta

259 artigosOrdenar por:Mais popularMais baratoMais caro
259 artigos

Quer saber mais sobre as correntes de bicicleta?

Todas as bicicletas têm um sistema de transmissão, através do qual uma corrente metálica une os pedais à roda traseira, que é a roda motriz, que transmite o movimento para avançar. A força é realizada pelo ciclista, que, através de pedais e pedaleiras montados sobre pratos dentados, impulsionam uma corrente que transmite força sobre os pinhões e estes movem a roda traseira.

Atualmente, existe uma grande diversidade de marcas, modelos e qualidades de correntes, o que gera alguma confusão no momento de escolher a mais adequada para substituir a sua. As transmissões modernas são de 8, 9, 10 e até 11 velocidades. Nestes casos, as correntes mais adequadas são, normalmente, de 7-8, 9, 10 e 11 velocidades, respetivamente. O comprimento de uma corrente depende do número de velocidades, o que também incidirá sobre o tipo de desviador que necessitamos. A largura é outro fator que varia nas correntes, em função das suas velocidades, sendo mais inferior, quanto mais velocidades tenha, encurtando o espaço entre pinhões.

Antes de comprar uma corrente, é importante verificar se esta é compatível com os pratos e pinhões da bicicleta, já que as correntes são diferentes, dependendo do número de mudanças.

Uma coisa muito importante que uma corrente em condições perfeitas tem de ter é usar líquidos lubrificantes, para que a fricção com os dentes dos pratos e pinhões não acabe por danificar o material. Se estes elementos não se lubrificam com regularidade, acabam por se desgastar e a sua vida útil é muito mais curta.

A melhor maneira de lubrificar uma corrente é aplicar líquido em cada elo, enquanto movemos os pedais, para que a corrente rode sobre os pratos, já que, se aplicamos o lubrificante diretamente nos pinhões, se podem danificar os travões traseiros (se são de disco), tornando-os totalmente inúteis.

O principal problema da corrente, a seguir à sujidade, é o estiramento, que é mais rápido nas correntes em que se muda de velocidades e quanto mais desalinhada trabalhe a corrente. O facto de a corrente estar submetida a esforços laterais por não estar alinhada com o prato e o pinhão faz com que os esforços nos eixos e nos rolos da corrente sejam maiores, aumentando o desgaste. Porque uma corrente antiga é mais comprida do que necessário, os elos não encaixam corretamente entre os dentes do pinhão, o que se traduz em que, no que toca a potência, só um cubo (o primeiro) realize a transmissão do esforço do prato e a corrente, provocando saltos nos dentes, pelo que é conveniente trocar de corrente.


Marcas da Correntes Bicicleta que lhe podem interessar:

40% de desconto

40% de desconto no seu e-mail

Registe-se e receba no seu e-mail ofertas de até 40% de desconto em milhares de produtos.

Campo obrigatório